FUNCIONAMENTO DO SISTEMA SOLAR  

  paulo_serpa_marques @ sapo.pt

 

                     Outubro de 2008

 

 

              1 – As primeiras concepções que o ser humano fez sobre o movimento dos astros foram concepções geocêntricas, pois consideravam que a Terra se mantinha imóvel, no centro do mundo, movimentando-se o Sol e os outros astros em seu redor. Assim era no tempo de Aristóteles (384 – 322 A.C.).

 

              Copérnico (1473 – 1543) estabeleceu um sistema heliocêntrico em que o Sol, imóvel, passou a ocupar o centro do mundo.

 

              Kepler (1571 – 1630) estabeleceu as seguintes leis sobre o funcionamento do Sistema Solar:

 

              Lei das Órbitas: os planetas movem-se em torno do Sol descrevendo órbitas que são elipses, com o Sol centrado num dos focos.

 

              Lei das Áreas: uma linha que se estenda do Sol a um planeta, varre áreas iguais em intervalos de tempo iguais.

 

              Lei harmónica: os quadrados dos períodos de revolução dos planetas em torno do Sol são directamente proporcionais aos cubos das suas distâncias médias ao Sol.

 

 

              2 – Hoje em dia, ainda se considera que a Terra e os outros planetas do sistema descrevem órbitas elípticas em torno do Sol. O que não está correcto. Vejamos porquê:

 

              a) – Sabemos que a projecção do movimento da Lua num referencial ligado à Terra (projecção que habitualmente designamos por órbita) tem uma forma elíptica.  

 

              b) – Sabemos que a projecção do movimento da Terra num referencial ligado ao Sol (que designamos habitualmente por órbita) tem também uma forma elíptica.

 

              c) – Conjugando as projecções que acabamos de referir, verificamos que a Lua não pode percorrer o que habitualmente designamos por “órbita da Lua”, pois, se assim fosse, não conseguiria acompanhar o movimento da Terra. A compatibilização do movimento da Lua com o movimento da Terra implica que a Lua descreva uma trajectória em forma de curva sinusoidal:

 

 

 

 

 

 

 


              d) – O Sol também não está parado, faz parte da Via Láctea e roda em torno do núcleo galáctico; pelo que, a compatibilização dos movimentos dos planetas do sistema, com o movimento do Sol, implica que, como para a Lua: os planetas descrevam trajectórias abertas em forma de curvas sinusoidais.  

 

 

              3 – Se pretendermos representar a realidade, o esquema tipo com que habitualmente representamos o Sistema Solar:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


                                   Deve ser substituído por um outro esquema tipo:

 

 

 


                                                                                                                                      Urano                                          Saturno

 

                                                                                                                    Terra

                                                                                                                                                             Vénus

                                                                                                                        SOL

                                                                                                                                                Mercúrio

 

                                                                                                               Marte                          Júpiter

 

                                                                                    Neptuno

                                                                                                                                                      Plutão

 

 

Em que as setas indicam a direcção e o sentido das trajectórias ou das velocidades, instantâneas.

 

                                                Nesta representação:

 

Mercúrio, Júpiter e Plutão, ultrapassam o Sol;

                                                                               Vénus e Saturno, passam da direita para a esquerda do Sol;  

                                                                               Terra e Urano, são ultrapassados pelo Sol;  

                                                                               Marte e Neptuno, passam da esquerda para a direita do Sol.

 

 

            VER TAMBÉM:                   http://descartestalvez.no.sapo.pt

                                                           http://descartesnovamente.no.sapo.pt